Sintetizando: A Batalha do Apocalipse – Eduardo Spohr

Livro: A Batalhado do Apocalipse

Autor: Eduardo Spohr

Editora: Verus

Saudações, meu queridos leitores!

Hoje eu resolvi trazer aqui para vocês as minhas impressões sobre um livro que se tornou um de meus preferidos. Sabe aquele livro que você recomenda para todos os seus amigos? Então! Eu indico A Batalha do Apocalipse, do nerd brasileiro Eduardo Spohr. E infelizmente eu ainda escuto: Quem é Eduardo Spohr?

Para os amigos que estão desatualizados aí vai um resuminho básico. O Eduardo é um escritor do Rio de Janeiro, que estreou no mercado literário com o título que vos apresento hoje: A Batalha do Apocalipse (ABdA). O livro foi publicado em 2010 pela Editora Verus e antes disso de maneira independente e distribuído pela Nerdstore. Bem, a história de como ele chegou até ter seu trabalho publicado pela Verus (e em outros países!) com mais de 600 mil cópias vendidas é assunto para outro post. Spohr já possui outras obras publicadas pela editora: a trilogia Filhos do Éden, que se passa no mesmo universo de ABdA e completa a tetralogia angélica, e o último lançamento, Filhos do Éden – Universo Expandido, que conta com a parceria do ilustrador Andres Ramos.

Sou suspeita para falar sobre este escritor, pois acompanho com frequência os seus eventos, tenho fotos com ele e com o Andres, todos os meus exemplares estão autografados, porque sim, eu pego fila de horas para conseguir um autógrafo de bons escritores. E eu acho importante participar, apoiar e valorizar um trabalho tão incrível assim. Mas prometo ser sincera e imparcial durante o relato de minhas impressões (sem spoilers).

Sinopse da editora:

Há muitos e muitos anos, tantos quanto o número de estrelas no céu, o paraíso celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o Dia do Juízo Final.

Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas. Único sobrevivente do expurgo, Ablon, o líder dos renegados, é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na Batalha do Armagedon, o embate final entre o céu e o inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro da humanidade.

Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano, das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval, A Batalha do Apocalipse não é apenas uma viagem pela história humana – é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, repleto de lutas heroicas, magia, romance e suspense.

Eu ganhei um exemplar de A Batalha do Apocalipse logo após o lançamento, e confesso (muito envergonhada, mas confesso) que desanimei quando vi que o escritor era nacional, principalmente por se tratar de literatura fantástica. Isso foi um grande erro, e hoje não julgo mais um livro pela capa (ou nacionalidade). Depois de um tempo na prateleira, resolvi dar uma chance ao livro, pois muitas pessoas estavam elogiando e foi a melhor coisa que eu fiz! Infelizmente ainda existem algumas pessoas assim, e deixam de conhecer obras maravilhosas por continuarem não valorizando o que é nosso. Temos escritores realmente bons, e eu posso fazer um post só sobre isso, porque a lista é bem grande. Ainda bem que eu mudei, e se você ainda não conhece o trabalho do Eduardo, hoje eu vou te mostrar um dos motivos para conhecer.

É um livro fantástico, em todos os sentidos! Rico em descrições que proporcionam uma experiência de imersão incrível, que eu particularmente gosto. Acho que para o tipo de literatura, a descrição se torna indispensável. É um universo que nasce na mente do escritor e tem que ser apresentado ao leitor de uma maneira que se torne tão real quanto o bairro que você passou sua infância. E isso o Eduardo faz maravilhosamente bem. O universo (ou o Spohrverso, como é conhecido pelos fãs) complexo criado por ele, baseado em pesquisas, referências e muita criatividade, é retratado de maneira impressionante.

Não aconselho ler A Batalha do Apocalipse com pressa. É aquele tipo de leitura que devemos dedicar um tempo. Dar atenção aos detalhes, apreciar as histórias menores que são inseridas na principal, estudar os personagens, castas angélicas, locais que são citados no livro. Caso contrário, você pode julgar a leitura como cansativa e não conseguir enxergar todo o encanto que uma narrativa deste tipo carrega. A linguagem utilizada na escrita só tem a acrescentar na qualidade da obra, acentuando propositalmente o clima épico, como o próprio escritor já afirmou.

Para criar esta obra, Spohr se baseou bastante na mitologia cristã, utilizando elementos conhecidos, como anjos, demônios e a figura de Deus.(Lembrando sempre que esta é uma obra de fantasia e ficção e não religiosa.) Na história, Yahweh está adormecido desde a criação da humanidade, e os eventos que vão sendo desenrolados a partir deste ponto nos encaminham para o Apocalipse, o Fim dos Tempos, a Batalha Final. Os capítulos variam entre o passado e o presente, com histórias completas, construindo a trama, expondo a história dos personagens e ligando todos as pontas, como um quebra-cabeças.

É uma leitura obrigatória aos fãs de fantasia, de Tolkien e George Martin. Em breve farei posts sobre minhas impressões das demais obras do autor. Fique a vontade, deixe seu comentário abaixo e curta a nossa página do Facebook para ficar por dentro das novidades.

Até a próxima!

19 pensamentos

  1. Como você disse, é muito triste vermos tantos livros bons sendo deixados de lado pelos simples fato de serem nacionais, algo que deveria ser o contrário, brasileiros deveriam dar muito mais oportunidade para nosso escritores, pois existem muita obra boa por aqui… quanto ao livro ainda não li, mas espero ter a oportunidade um dia. Sua resenha ficou ótima! Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Olá!!

    Que resenha super legal, amei!!! Bom eu não conhecia o autor, mas já tinha visto fotos desses livros “Filho do Éden”, mas nunca tinha lido nada a respeito e depois da sua resenha já vou acrescentar na minha lista e com toda certeza vou ler. Antes de criar o blog não conhecia muitos autores nacional e então passei a conhecer e estou cada vez mais encantada porque são tantas histórias lindas que eu quero ler todas, mas ai lembro que sou uma só (kkkk).É sempre bom valorizar os nossos escritores é como você disse tem autores ótimos. No meu blog tenho um projeto para incentivar a literatura brasileira que foi criado justamente para aproximar leitores e autores e assim ambos ganharem. Muito legal esse seu post, adore!!!

    Parabéns pelo post e a sinceridade !!!

    Beijos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s