Resenha: Corte de Névoa e Fúria

Quem me acompanha lá no Instagram já deve ter percebido que estou completamente viciada em ACOTAR, inclusive a resenha dele saiu aqui há pouco tempo (confira aqui). Então hoje eu trago a resenha de Corte de Névoa e Fúria, segundo livro da série da escritora Sarah J. Maas.

Sinopse da editora:

Feyre Archeron morreu Sob a Montanha. Nas garras de Amarantha, a jovem humana que ansiava por amor e proteção deixou de existir. Das cinzas de seu velho eu, Feyre Quebradora da Maldição foi Feita – com poderes de sete Grão-Feéricos… e uma vontade tão férrea quanto o metal temido por eles.Seu coração no entanto, permanece humano, vulnerável. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin… e o pacto firmado com Rhysand, senhor da Corte Noturna. Mas mesmo assim, Feyre se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que ela se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece. Feyre deve aprender rapidamente do que á capaz. E curar sua alma partida. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte… um que ameaça não apenas os feéricos, mas o mundo humano e a muralha também.Enquanto navega por uma teia de intrigas políticas, paixões e poder, sufocada por Tamlin, Feyre precisa decidir o que deseja: amor ou liberdade?

Cuidado! Spoilers do primeiro livro.

Corte de Névoa e Fúria veio para ligar diversos pontos que estavam soltos em Corte de Espinhos e Rosas. Detalhes que passaram despercebidos começam a ter um sentido na trama, personagens se tornam ainda mais complexos e multifacetados, máscaras caem – máscaras diferentes das que vemos cair no primeiro livro -, e Feyre desperta.

Esse despertar não é imediato, mas é de extrema importância para o que comentei na primeira resenha. Somente nesse segundo livro é que Feyre começa a perceber, de fato, os problemas de seu relacionamento com Tamlin. E, como que para enfatizar, temos um Tamlin ainda mais problemático, com um temperamento explosivo e completamente controlador, que se recusa a perceber ou dar importância ao estado em que Feyre se encontra.

“Mas eu estava envolta em um casulo de escuridão e fogo e gelo e vento, um casulo que derreteu o anel de meu dedo até que a liga de ouro escorresse para o vazio, e a esmeralda saiu quicando atrás dela.”

Após ser torturada durante três meses Sob a Montanha, ter seu pescoço quebrado por Amarantha, retornar dos mortos se tornando uma féerica, e ter todos os seus limites testados para salvar Tamlin e seu povo, estresse pós-traumático é o mínimo que podemos esperar. Como o livro é narrado em primeira pessoa por Feyre, isso causa uma angústia no começo da leitura, alguns momentos são sufocantes e mostram como todos esses acontecimentos a destruíram. E é dessa destruição que Feyre se reconstrói, parte por parte, a fazendo questionar suas escolhas anteriores e quão frágil era para que se deixasse conquistar por tão poucas migalhas.

“Estou pensando que era uma pessoa solitária e sem esperanças, e talvez tivesse me apaixonado pela primeira coisa que me mostrou um pingo de bondade e segurança.”

Quando digo que máscaras caem, não é apenas a de bom moço do Grão-Senhor da Corte Primaveril a que estou me referindo. Esse livro nos apresenta novos personagens da Corte Noturna e uma versão completamente diferente de Rhysand. Se ao final de Corte de Espinhos e Rosas você, leitor, não estava disposto a dar o benefício da dúvida ao Grão-Senhor da Corte Noturna, talvez mude de ideia ao passar dos capítulos do segundo livro.

Se o primeiro livro foi uma introdução ao universo, o segundo trabalha a construção dos personagens, enquanto Feyre se vê como a peça-chave para evitar uma grande guerra que se aproxima. Personagens novos e locais impressionantes são inseridos na história enriquecendo ainda mais o universo criado por Sarah J. Maas. Em meio à fantasia, porém, questões do mundo real são abordadas gerando importantes reflexões.

Uma leitura extremamente fluida e empolgante, com grandes momentos de tensão e personagens cativantes. Se você gostou do primeiro, se prepare, pois o segundo livro é ainda melhor.

Sobre a autora: 

Sarah J. Maas é autora da série Trono de Vidro, publicada pela Galera, best-seller do New York Times e sucesso internacional Ela adora contos de fadas, filmes da Disney e música pop ruim; bebe café demais e vê muito lixo na TV; Sarah nasceu em Nova York, mas atualmente mora em Buck County, Pennsylvania, com seu marido e seu cachorro.

Livro: Corte de Névoa e Fúria

Aurora: Sarah J. Maas

Editora: Galera Record

Páginas: 656

Nota: 5/5⭐ 

Comprar: Amazon

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s